Fim

Não escrevo mais

acabou tudo

não existe mais nada… as coisas mudam e não é bom.

As pessoas vão mesmo sem irem e deixam um vácuo em nós, irreparável!

Palavras vazias de sentido, entusiasmo, emoção

tão concretas e inúteis que de palavras viram tijolos, 

Pesados tijolos de cristal que depois de faladas se espedaçam no chão.

Pedaços de um mundo de mentiras onde a doçura que resta só podemos encontrar nas lembranças

Eu explodiria tudo se pudesse

ficaria só com o suco doce da memória 

e conviveria com a doçura dos primeiros encontros 

Os inícios… prefiro-os! Os finais são muito duros.

E antes q a alma se acabe em desilusão

Se é que ainda exista o brilho da ultima luz peço-te que não se transforme em recordações

Fique mais se agarre em mim.

Mas se a vida não passou de um vocabulário enfeitado saia e leve todos os cacos

Não escreverei mais!