Ai, que arte não enche barriga!

Eu não tenho dinheiro não senhor

Mas eu tenho arte de sobra, que sobra,

ou algo do tipo brotando de mim

Eu sei que isso não é dinheiro sim senhor

Mas isso é arte que escorre sem parar de dentro de mim

Ai que eu não sei como se sobrevive sem dinheiro não senhor

Mas eu também não sobreviveria sem arte, sem desejo, sem sonho e sem amor. 

 

 

 

Pois bem…
Eu sou atriz
Tenho por vocação a liberdade de sair por aí dançando
Andar pelas ruas gritando e deitar no chão
Tenho por profissão toda a liberdade do mundo
Divido o dia em segundos pra que ele não desate correndo a passar
No coração tenho uma terra sem grades
Em mim não há portões sem chaves ou cadeados
que costumam deixar trancafiados qualquer cidadão
Sou o que faço e de sonho pedaço
Me emendo, um remendo no tal mundo real.